Atelier Dani Henning – Onde a arte acontece

6 de outubro é dia de ATELIER ABERTO!

Atelier Aberto – É um evento de um dia proposto pela artista Dani Henning, em que público tem a oportunidade de conhecer de perto o ambiente de trabalho de um artista. É o maravilhoso momento de interação com a arte e seu criador. “Conhecer o artista e seu processo, ver seus materiais e apreciar obras, é uma oportunidade ímpar aos admiradores de arte. É quando têm a chance de chegar mais perto da produção artística”, revela Henning.

Panorâmica 1

Essa data, escolhida pela autora para enaltecer a primavera, acontece apenas uma vez ao ano. O visitante pode ver preciosidades, tais como, desenhos, esculturas, impressos digitais, pinturas e objetos. O evento ainda conta com as presenças da escultora Vera Peres, com belas esculturas de bronze e outros materiais, e o autor Levis Litz, que publicou vários livros, para uma sessão de autógrafos. Aos presentes ainda será ofertada uma prática light, on demand, de Tai Chi Livre (arte em movimento). Com tanta coisa boa, vale a pena conferir!

Daniele Henning – Nasceu em Rio Negro, PR, e vive em Curitiba desde 1983 onde formou-se em Educação Artística com Habilitação em Artes Plásticas pela UFPR em 1987. Realizou cenários para teatro e televisão e atua a mais de 15 anos como pintora, participando de exposições coletivas e individuais. Seus trabalhos estão presentes em galerias no Brasil e em acervos particulares na Argentina, França, Itália, Estados Unidos e Canadá.

Serviço

Evento: Atelier Aberto – Atelier Dani Henning
Programa: Mostra de arte e sessão de autógrafo
Data: 6 de outubro (sábado), das 14h00 às 19h00.
Local: Rua Sain’t Hilaire, 822 – Sala 11 – Água Verde – Curitiba – Paraná
Contato: danihenning@outlook.com.br – Tel: (41) 99985-4846


Gosta de pedalar? Veja aí, que legal!

#PERCURSOSAFETIVOS

Performance leva público a percorrer de bicicleta ruas do centro de Curitiba enquanto ouve histórias.

DSC_8900 Foto Doug Oliveira

Observar a cidade e as pessoas que nela vivem e transitam com um novo olhar, com uma nova escuta, a partir da perspectiva de um ciclista, este é um dos principais objetivos da performance Percursos Afetivos do artista carioca Cadu Cinelli (ator, artista têxtil, contador de histórias e diretor teatral, integrante do grupo OS TAPETES CONTADORES DE HISTÓRIAS/RJ) que conta histórias percorrendo de bicicleta as ruas do centro de Curitiba.

Estar em uma bicicleta é imprescindível para acompanhar este trabalho itinerante que estreou durante a última edição do Festival de Teatro de Curitiba e ganhou bastante repercussão. Mas, foram poucos dias, por isso quem perdeu a chance de vivenciar essa experiência, agora, vai poder se programar.

Desde julho, a inusitada performance é apresentada no último fim de semana de cada mês e seguirá até novembro deste ano. Sempre aos sábados e domingos, às 19h, em algum ponto da cidade. O trajeto muda a cada mês, o de agosto está marcado para os dias 25 e 26 e o ponto de partida será a Boca Maldita e o de chegada a Praça Rui Barbosa. Os demais ainda serão definidos.

            A duração do passeio é de 50 minutos e as histórias contadas durante o percurso, enquanto os ciclistas pedalam, são semificcionais, criadas pelo próprio performer Cadu Minelli. A paisagem ao longo do trajeto, durante as apresentações, recebe intervenções como projeções de imagens, palavras, iluminação, introdução de objetos e outras surpresas. “A ideia, por meio da ação poética, é ressignificar a paisagem, potencializando uma mudança de olhar tanto de quem participa da performance quanto de quem está somente de passagem e se depara com ela”, declara Cinelli.

Serviço:
Performance: Percursos Afetivos com Cadu Cinelli

Colaborador: Dag Bach
Dias: 25 e 26 de agosto
Horário: 19h

Percurso: Boca Maldita/Praça General Osório/Rua Professor Fernando Moreira/Alameda Presidente Taunay/Rua Saldanha Marinho/Rua Desembargador Mota/Rua Dr. Pedrosa/Praça Rui Barbosa
Duração: 50 minutos.
Obs.: Mesmo com chuva haverá performance
Entrada: Contribuição Consciente

eflyer agosto

Contato e empréstimo de bicicleta: 21 98352 2492 (Cadu Cinelli) / cecinelli@hotmail.com

Facebook: @percursosafetivos


Poesia fazendo conexões com outros cantos, recantos e encantos do planeta

Mônada – Substância simples, ativa e indivisível de que todos os corpos são formados. Pela percepção as mônadas representam todas as coisas do universo; cada uma de ‘per si’ espelha todo o universo. Leibniz – Filósofo
Livro Monada - Página 5
Do livro: Viagens de uma Mônada. Uma obra que, em gotas de conhecimento, compartilha poesias, fotografias, contos, vivências, fatos, relatos e passagens de minha vida.

Nessa segunda edição, ampliada e com dezenas de imagens, viajo no espaço, saindo de minha cidade natal e fazendo conexões com outros cantos, recantos e encantos do planeta.

Distante de formalismo, brinco com as palavras e conceitos e apresento definições e curiosidades de algumas variações da língua portuguesa, tais como internetês e a maneira de falar na minha infância. E, por fim, trago participações de convidados especiais: professores, escritores e amantes da poesia.

Número de páginas: 83
Edição: 2 (2018)
ISBN: 978-85-906859-1-3
Formato: Pocket 105×148
Ilustrado
Acabamento: Brochura
Tipo de papel: Offset 75g

——–
Mais informações no site Fotos e Rumos em www.FotoseRumos.com 
Adquira o seu exemplar impresso diretamente no site Clube de Autores


O Portal “Fotos e Rumos” está em festa!

17 anos de existência!

Fotos e Rumos surgiu assim…

…da vontade de compartilhar histórias de viagens e fotografias.

Seu dia: 27 de julho – uma data, uma escolha, uma ideia, uma realização. Foi no ano 2000.

Rolou no Espaço de Eventos do Shopping Crystal em Curitiba. Foi lindo, foi bacana!

Apoio da InfoMatrix  (http://www.infomatrix.com.br) e seus funcionários altamente capacitados e muitos computadores de última geração.

O momento contou com a presença de amigos e colegas – fotógrafos, jornalistas, empresários, viajantes, mochileiros, artistas, músicos, cineastas… cerca de 200 pessoas – pequenos universos, com grandes valores – nos prestigiaram.

Houve muita integração e entretenimento. Teve vinho e acompanhamentos – brindes, canecas e camisetas… um “somzinho” legal tocou trilhas de filmes… e… entre taças e sorrisos… houve muitas fotos e muitos rumos… para muitos olhos…

Registro aqui a minha Gratidão!

Levis Litz
Fotos e Rumos
http://www.FotoseRumos.com

Curiosidade: a logo do Fotos foi inspirada numa fotografia que tirei de um filhote de lobo marinho em Cabo Polonio, Uruguai.


A amizade entre motociclistas

FR - Dizeres - Carnivalle FreakshowA amizade entre motociclistas é forjada no calor do asfalto, no frio do vento, no companheirismo da estrada e ao sabor da liberdade!

http://www.FotoseRumos.com

Foto: Levis Litz / Praia de Cabeçudas, Itajaí, SC

FF - Amizade


Por que viajar sobre duas rodas estrada afora?

Por que viajar sobre duas rodas estrada afora?

Quando viajo de motocicleta – hoje percorridos muito mais do que 20 mil km de estradas e trilhas – muita gente questiona: “Por que numa motocicleta?”. Ora! Ao viajar, por exemplo, numa motocicleta XL-125, em que a velocidade não era alta e a potência limitada, você tem que respeitar o que lhe é acessível e possível. Foi graças a ela que pude atravessar rios e lagoas em cima de embarcações, atravessar dunas (levando-a no braço) e conhecer lugares fantásticos como Cabo Polonio, no Uruguai. Nunca teria conseguido sem minha XL-125. Não é tamanho que importa, mas sim o prazer que ela te proporciona! (rs).

com crédito Valesca - Motocicleta - No Barco

Foto by LL: A Valesca com a nossa XL-125 em uma embarcação – saindo da Estrada do Inferno (BR-101), na travessia da Lago dos Patos – de São José do Norte para a cidade de Rio Grande (RS).

——
Visite:

. Fotos e Rumos em www.FotoseRumos.com

. Duas rodas pela estrada afora no Facebook em https://www.facebook.com/groups/118332212085523/