Teatro, reflexões e cidadania, à la Salmonela

No Coração das Trevas: Uma Jornada Mítica Civilizada pelo Centro Cívico


Memórias evocadas de uma história emergida recente – bombas e balas de borrachas atiradas em professores oriundas da região do Palácio das Araucárias  (Sede do poder do Estado) e contínua corrupção ativa e crescente presenciadas na “Cidade de Muitos Pinheiros (Kur Yt Yba)”, levam a esta incrível e imperdível performance que, num ato de interatividade e sentimentos de solidariedade, nos proporcionam a uma reflexão de como se exercita a cidadania.

Sentimentos cultivados e compartilhados, com momentos interessantes, instigantes e intensos são proporcionados pelos atores da Companhia Salmonela Urbana Cia Performática no Festival de Teatro de Curitiba deste ano.

Nos fazem pensar, interagir e abrir os olhos sobre as relações sombrias de um passado tão presente – que podem comprometer a democracia e se estender a um futuro de incertezas.

Esta performance, que faz o público interagir – navega pelas calçadas do Centro Cívico (Cívico ?)  levando as pessoas a percorrerem um trajeto urbanista-autofágico-pós-colonial-neoliberal. No caminho deparam-se com instituições que deveriam primar pela “ordem e progresso” da cidade, do estado e do país.

Início do percurso: Praça 19 de dezembro.
Caminhada até a Praça Nossa Senhora de Salete.
Ainda dá tempo de assistir.
Hoje é o último dia, às 13h00.
Experiência ímpar.

Direção: Lúcia Helena Martins
Produção: Bruna Mendonça
Performers: Ana Ferreira, Amanda Lima, Aquiles Kauê, Barbara Camargo, Cassia Pauluk, Dayane Andrade, Dani Wall, João Muniz, Juliana Luz, Leo Castilhos, Maycon Lorkievicz, Mathews Nascimento, Rafael Machado, Raíssa Miranda, Tainá Roma, Victor Dezute, Vivian Schimitz, Jennifer Ferrari
Figurino: Sanmi Riquerme, Karina Barbosa
Companhia: Salmonela Urbana Cia Performática
Gênero: Intervenção
Entrada franca

Texto/Fotos: Levis Litz


Mestre de Tai Chi – Da Irlanda para Curitiba

Para a alegria dos que praticam Tai Chi Chuan, hoje foi um dia histórico para a Cidade de Curitiba.

IMG_9123

Por uma iniciativa de praticantes de Tai Chi Chuan, Tise e Elenice, com o apoio do Professor Levis Litz, do Grupo Tai Chi Curitiba, foi feito um convite ao Mestre irlandês de Tai Chi Chuan, Niall O’Floinn para visitar a Praça do Tai Chi.

O mestre – que veio a Curitiba para ministrar um seminário, não apenas aceitou o convite, como também, fez um treinamento intenso de duas horas na Praça.


Um fato relevante para a cidade – uma honra para os que praticam Tai Chi na Praça do Tai Chi.

E as novidades ainda ficam melhores: inédito!

Praça do Tai Chi NOF 15dez15 laughing

O Mestre Niall, descontraído e radiante, revelou que no próximo ano – pela primeira vez na história do Brasil – vem para Curitiba, o Grão-Mestre Wang Hai Jun, da linhagem da família que criou o Tai Chi Chuan. E, é claro, com visita confirmada na Praça do Tai Chi. Que tal?

A Praça do Tai Chi se situa na Av. Água Verde esquina com a Rua Guilherme Pugsley (Via Rápida Portão-Centro). Bairro Água Verde, Curitiba, Paraná. Apenas a…

. 2 quadras do Supermercado Angeloni da Av. República Argentina
. 2 1/2 quadras do SESC Água Verde da Av. República Argentina
. 2 quadras do Clube Curitibano de quem sobre a Rua Sain’t Hilaire
. 3 quadras do Tubo Petit Carneiro na República Argentina.
. 4 quadras do Supermercado Condor do Água Verde -> Caminhar pela Av. Água Verde em direção a República Argentina
. 4 quadras do Tubo do Ligeirinho Água Verde da Av. Getulio Vargas; caminhar sentido contrário dos carros pela Rua Sain’t Hilaire
. 5 quadras do Tubo do Ligeirinho: Água Verde da Av. Iguaçu; caminhar sentido contrário dos carros pela Rua Sain’t Hilaire
. 6 quadras da Praça do Japão -> Caminhar sentido contrário dos carros pela Rua Sain’t Hilaire. Veja o mapa a seguir:

12310432_1216670915016644_1490934685502017956_n-2


Tai Chi & Mantras – Músicas de Conexão

Tai Chi & Mantras - Cartaz Oficial


Amostra Cultural – Um tributo a Claudio Seto

Há sete anos, Curitiba se despedia de uma das figuras mais queridas da comunidade nikei: o multiartista Claudio Seto. E como Seto adorava uma festa, só podia ser essa a maneira de rememorar seu trabalho e perpetuar tudo o que ele representa para a cultura nipo-brasileira. O Tributo a Claudio Seto, uma pequena amostra das cultura e arte japonesas, acontecerá dias 21 (sab) e 22 (dom) no Centro de Criatividade de Curitiba (dentro do Parque São Lourenço) e terá entrada franca“, Mylle Silva

Uma série de atividades estão programadas para o evento, que será perfeito para quem quiser viver uma pequena imersão no melhor da arte japonesa local.

convite_Tributo_Seto
HQ A Samurai

A Samurai é minha primeira história em quadrinhos. Todo o projeto e roteiro foram elaborados por mim e, para dar vida a minha ideia, convidei oito ilustradores talentosíssimos que fizeram dessa uma das melhores publicações do meio em 2015. Eu já escrevi isso aqui no Tadaima, mas não custa nada repetir: a história está repleta de referências ao Seto, desde o título (uma das mais discretas) até entre os personagens.

Enquanto colocava a história no papel, decidi transformar Seto em um dos personagens. Ele é, ninguém mais, ninguém menos, que Mestre Seto, o samurai que ensina a personagem principal a lutar. Inserir Seto como um dos personagens foi a minha maneira de não deixar que o trabalho dele como quadrinista caísse no esquecimento.

Os que já tiveram a oportunidade de ler a história gostaram bastante do resultado. Eu só tenho a agradecer ao Samurai de Curitiba por ter me aproximado ainda mais da cultura japonesa e servido atiçado minha curiosidade sobre a produção de quadrinhos de outrora.

A publicação estará à venda durante o evento por R$35,00 – além de levar pra casa um trabalho lindo, você terá autógrafos dos autores!

noname

Serviço
Tributo a Claudio Seto

Dias 21 e 22 de novembro
Das 11h às 18h (sábado) e das 10h às 17h (domingo)
Centro de Criatividade de Curitiba
Rua Mateus Leme, 4700 (Parque São Lourenço)
Entrada franca


Como implantar um jardim nativo em casa

A Praça do Tai Chi sempre organiza em Curitiba atividades revigorantes. A SPVS (Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental) participa dessa tradição com a oficina de cultivo de plantas nativas, que será realizada no próximo sábado (07), às 9h30.

Técnicos do ConBio vão falar sobre a relação das plantas nativas com a conservação da biodiversidade e sobre como implantar um jardim nativo em casa. A praça fica no bairro Água Verde, na esquina entre a rua Guilherme Pugsley e avenida Água Verde.

Taichi final

A missão da SPVS é trabalhar pela conservação da natureza, através da proteção de áreas nativas, de ações de educação ambiental e do desenvolvimento de modelos para o uso racional dos recursos naturais.

A missão da SPVS é trabalhar pela conservação da natureza, através da proteção de áreas nativas, de ações de educação ambiental e do desenvolvimento de modelos para o uso racional dos recursos naturais.

Serviço
Evento: Tai Chi & Oficina Plantas Nativas
Dia: 7 de novembro
Horários: Tai Chi às 09h30 – Oficina Plantas Nativas às 10h15
Local: Praça do Tai Chi (Av. Agua Verde esq. Rua Guilherme Pugsley), Curitiba
Participação: livre e grátis

Para saber mais sobre a SPVS
. http://www.spvs.org.br
. https://www.facebook.com/SPVSBrasil
 
Para saber mais sobre o evento “Tai Chi & Plantas Nativas”
. https://www.facebook.com/PracadoTaiChi
. LevisLitz@TaiChiCuritiba.com
. http://www.TaiChiCuritiba.com.br

EntreOlhares – Um Experimento de Conexão Humana em Curitiba

Imagine você caminhando por uma praça qualquer. Você e seu celular – seus olhos vidrados – num diálogo intenso: whatsapp, facebook, twitter, instagram, blog, notícias…

Por um momento, há gente sentada no meio do seu caminho, mas… sentada não em um banco qualquer… estão sentadas no chão, no pavimento, na grama, em almofadas e toalhas, em panos e dentro de círculos – de “bambolês”.

Então você se vê obrigado a se desconectar do celular e começa a prestar atenção no entorno. Nossa, quanta gente!, se pergunta. O que estão fazendo? Serão mais desses bichos-grilos que brotam das copas das árvores? Percebe que a grande maioria está em pares, se entreolhando; a maioria – apenas – se olham, sem palavras ditas. E, por um curto espaço de tempo (o que é o tempo?), se abraçam.

Se abraçam, assim do nada? Mas parecem ser estranhos, que não se conhecem! Pera aí, estarei delirando? Estou em Curitiba, a capital mais fria do país, também famosa pela frieza de seus nativos.

Você enxerga com mais propriedade agora, observa sorrisos sinceros, olhos emocionados – que coisa linda! E no passeio dessa sua peculiar visão… não é que você nota alguém olhando para você (oh, meu Deus, e agora?), num singelo gesto, emerge um cativo convite aquela conexão humana… e você se entrega.

Isso aconteceu ontem – talvez não comigo, talvez nem contigo, mas com todos. Foi a Conexão Humana em Curitiba, na Praça Santos Andrade, numa tarde de quinta-feira super agradável.

O praticante de Tai Chi e Kung Fu Jean Sirigate – um amigo e companheiro nessa trilha – resume o sentimento de todos: “Foi lindo demais! Tão simples, mas tão profundo! Os olhos são a janela da Alma. Gratidão, e no aguardo dos próximos!“.

Texto e Fotos by LL
Captura de Tela 2015-10-16 às 08.24.32 Captura de Tela 2015-10-16 às 08.23.36 Captura de Tela 2015-10-16 às 08.23.15 Captura de Tela 2015-10-16 às 08.22.48

Captura de Tela 2015-10-16 às 08.43.30 Captura de Tela 2015-10-16 às 08.42.53
——
Palavras do organizador – antes do evento: “Todos nós sabemos e sentimos o quanto a correria da vida nos desconecta uns dos outros. As tecnologias nos deixaram ulltra-conectados virtualmente mas muitas vezes falta aquela conexão que só pode ser sentida através da presença genuína de outro ser humano com a gente. Pensando nisso, eu, Chico Oliveira, decidi trazer para Curitiba o “ The World Biggest Eye Contact Event”, um evento mundial organizado pela The Liberators International. Nós queremos te convidar para espalhar não somente esse evento mas a ideia que está por trás dele que é a de conexão genuína entre seres humanos, afinal, ela faz um bem danado para o coração e pode começar uma verdadeira revolução. Esse evento faz parte de um movimento mundial. No mesmo dia milhares de pessoas no mundo estarão fazendo a mesma intervenção em cidades como: Nova York, Milão, Viena, Dhaka, Vancouver, Londres, Buenos Aires, Melbourne, Paris, Berlin, Dublin, Amsterdam, Guadalajara, Estocolmo, Madri, Geneva, São Paulo, Rio de Janeiro e muitas outras! Todas essas intervenções vão gerar um vídeo global que repercutirá pelas redes para lembrar o quando a conexão humana é importante para construirmos um mundo mais empático e compassivo.”
——
Como foi… placas na Praça Santos Andrade com os dizeres “Para onde foi a conexão humana? Compartilhe um minuto de contato olho no olho para descobrir” …  pessoas levaram cangas, tapetes de ioga, almofadas ou qualquer coisa que permitiria sentar e esperar um desconhecido chegar para compartilhar um minuto de contato visual; itens não eram obrigatórios, não precisaria ser levado nada. Ficar em pé fazendo contato visual com as pessoas também valia.
———–
Para conhecer melhor…
Organizador -> Chicooliveira: Máximo Potencial – www.maximopotencial.com.br
A Liberators International: http://www.theliberators.com.au/
Vídeo original da experiência em → http://on.fb.me/1QxT4mN 


Tai Chi e Halloween – Brincar de adulto, ora bolas!

Tai Chi & Halloween

Deixando a discussão cultural de lado, é uma oportunidade de amigos se encontrarem e se divertirem.
Leitura de textos (de terror?) – Chá (de asas de morcego ou de pó de gafanhoto?)
Bate-papo (de dar medo?) – Doce ou Travessura? Surpresa e Alegria!
Se fosse você, iria!
——————
Praça do Tai Chi
Av. Água Verde esquina com Rua Guilherme Pugsley
23 de outubro (sábado) – Às 18h00
É livre! É grátis!

Tai Chi & Halloween