19 de Agosto de 2016 – 177 anos da fotografia

19 de agosto é o “Dia Mundial da Fotografia”. Os brasileiros também celebram o dia 8 de janeiro como o “Dia do Fotografo”.
 
A fotografia é uma das invenções mais extraordinárias da história da humanidade e que revolucionou a sociedade a partir de meados do século XIX, assim como a cultura, a economia, as arte e etc.
 
A homenagem é da invenção do daguerreótipo, o antecessor das câmeras fotográficas. Segundo registros, foi em 19 de agosto de 1839 que a Academia Francesa de Ciências anunciava mundialmente a nova invenção. Aparelho desenvolvido pelo francês Louis Daguerre, em 1837, graças aos estudos de Joseph Niépce, que havia criado a héliographie alguns anos antes.

Cópia de Levis Teotihuacan

Veja mais fotos em: www.facebook.com/fotoserumos


Educação finlandesa, qual é o segredo?

Qual o segredo da educação Finlandesa?

Conheça exemplos educacionais finlandeses na Casa Finlândia

A Casa Finlândia, organizada pelo Comitê Olímpico Finlandês e Ministério da Educação e Cultura da Finlândia, apresentará vários exemplos na área, mostrando fatores de sucesso do seu reconhecido sistema educacional, nos dias 17 a 19 de agosto, durante as Olimpíadas no Rio.

O Muuvit é um programa que une tecnologia e educação que será apresentado aos interessados. Todos estão convidados (18 de agosto, das 13h30 às 15h). Ele tem o apoio do Instituto Compartilhar, Embaixada da Finlândia, PNUD e REMS.

Clique no link a seguir e conheça um pouco do segredo da educação finlandesa: https://www.youtube.com/watch?v=QNwoSvbW7Gs

Captura de Tela 2016-08-04 às 15.22.20

Vídeo: FINPRO – Créditos: Riitta Supperi/Finland Promotion Board; Sakari Piippo/Finland Promotion Board


A escritora Cléo Busatto lança novo livro

Novo livro de Cléo Busatto é lançado pela Galera Júnior

Cléo Busatto é um nome conhecido na literatura infanto-juvenil. Em A Fofa do Terceiro Andar, da Galera Júnior, a autora decidiu se embrenhar pelo mundo adolescente. Em uma narrativa que se assemelha a uma conversa íntima, nos apresenta o diário de Ana, uma jovem perdida em meio a relacionamentos, problemas de autoestima e bullying. Nas mãos da autora, a personagem redescobre o mundo à sua volta, livrando-se de excessos e preconceitos – e faz o leitor se identificar com as dúvidas, a coragem e os desafios tão marcantes desta fase da vida.

“O livro é uma espécie de escrita de iniciação, uma conversa por meio da qual a personagem vai se vendo e lendo o mundo à sua volta. Enquanto escrevia, trouxe minha adolescente à tona e entendi melhor esta fase, onde a coragem, a ousadia e as dúvidas estão sempre presentes”, revela a autora.

Na história, Ana foi uma criança alegre e brincalhona, mas passou a sofrer na adolescência quando se descobriu gorda e desajeitada com os esportes. Depois de enfrentar o bullying dos colegas, começa a escrever um diário, numa jornada de autoconhecimento e reconhecimento do mundo. Quando conhece o menino Francisco, sua vida muda. Em meio à descoberta do amor, do enfrentamento da morte e dos desafios de fazer dieta, estudar e se aceitar como é, Ana cresce e amadurece.

Cléo Busatto iniciou seu caso de amor com as palavras aos quatro anos e não parou mais. Lançou seu primeiro livro em 2002 e é uma contadora de histórias, tendo sido ouvida por mais de 100 mil pessoas, no Brasil e no exterior. Convocou sua menina interior e escreveu vários livros, depois convocou sua adolescente e escreveu A fofa do terceiro andar. Suas obras fazem parte de programas de leitura e catálogos internacionais, como o da Feira do Livro Infantil de Bolonha. Colaboradora de jornais e revistas, além de escrever, Cléo gosta de gatos e de viajar. Suas experiências pelo mundo afora inspiram novas histórias, que ela tem prazer em oferecer ao leitor.
__________________________________________________

capa fofa 200 dpi 001A FOFA DO TERCEIRO ANDAR
Cléo Busatto
Páginas: 144
Preço: R$ 25,00
Grupo Editorial Record | Galera Júnior
__________________________________________________

Contatos: Cléo Busatto / Tel: (41) 3024-7342 e (41) 9986-9308.
www.cleobusatto.com.br – atendimento@cleobusatto.com.br

 


Curitiba – onde a capivara tem vez

Capivaras – muitas delas – convivem com visitantes do Parque Barigui . Esse animal (fofo, alguns diriam – risos) se tornou uma marca do município e agora que a moda pegou, elas estão dando um passeio por aí pelos cantos da cidade .

Um grupo, feitas de fibra de vidro – há oito delas medindo 1 metro de altura por 1,5 de largura – podem ser vistas soltas em vários espaços. A inspiração veio do tradicional “Cow Parade”.

Então – preste atenção! Pode ser que você acabe cruzando com alguma delas.

Captura de Tela 2016-06-02 às 10.10.59

Espaço Zen – Atelier Dani Henning – Grupo Tai Chi Curitiba

A capivara da foto foi pintada pela renomada artista plástica Dani Henning em seu Atelier – que também é um espaço Zen para a prática do Tai Chi Chuan. No entorno do animal estão praticantes dessa arte.


Raízes – Semeando o curitibanês das antigas

Curitiba e região, como em todos os lugares do mundo, adquiriram alguns termos típicos de linguagem. Alguns se perderam no tempo, outros se enraizaram na cultura.

Curitiba 04 - Semeador
RAÍZES

Vina, chachicho, cuque e pinhão,
Estômago cheio e setra na mão.
Na guerra de mamona
Amigos travam batalhas
Quando um acertava… ai, que dor!

Soube que na cidade apareceu um trujão
Que bateu seu fuque, que confusão
Mas foi a alegria da piazada, que presepada!
Porque dentro tinha uma bexiga, chineque e limonada.

Tinha até um monte de dolé e uma raia.
Para quem tava de varde, tudo parecia normal
Comer mimosa e ouvir prosa, da dona Rosa
Tempos desbotados, tempos pálidos
Termos olvidados, termos do passado
Raízes que surgiram, palavras que ficaram na memória, enfim!

————–

Mais curitibanês das antigas

Bexiga: balão de festa infantil
Vina: salsicha
Bidê: criado mudo ou tipo de raia mais elaborada
Trujão: intrometido
Bolsa: pasta de escola
Tongo: indivíduo com pouca inteligência
Borrão: rascunho
Só!: é isso aí!
Capilé: groselha
Setra:   estilingue, bodoque, atiradeira.
Carpê: carpete
Sapecada: pinhão na brasa
Champinha: tampinha de garrafa
Raia: pipa, pandorga, papagaio
Chachicho: salsichão típico ou coisa mal feita
Piá: guri, menino
Chineque: pão doce
Penal: estojo para lápis, canetas etc
Cuque: tipo de torta coberta com farelo de banana ou maçã
De varde: a toa, sem ter o que fazer.
Nhanha: polaco desconjuntado, uma pessoa caipira
Disgranhento: pessoa sacana, desgraçado
Mimosa: fruta cítrica, mexirica, bergamota
Dolé: picolé
Meio-fio: guia da calçada
Foco: lâmpada
Maloqueiro: vadio, vagabundo, arruaceiro
Fuque: fusca
Gralhar: pessoa que não pára de falar.
Gasosa: refrigerante de limão, abacaxi, framboesa, etc

——–
Texto publicado originalmente no meu livro “Viagens de uma Mônada” em 2006.


Dia do Tai Chi – Comemoração em Curitiba

O Dia do Tai Chi é uma data oficialmente reconhecida pela Prefeitura Municipal de Curitiba e também é comemorado, sempre no último sábado do mês de abril, em mais de 70 países. O bacana é quando no relógio estiver marcando às 10h da manhã, haverá alguém praticando Tai Chi ao redor do mundo, totalizando assim 24 horas.

DMT 2016 - CartazDia do tai chi oficial em Curitiba

No Programa…
-> Apresentações de Tai Chi de vários estilos e escolas com Tai Chi Chuan, Tai Chi com espada, Tai Chi com leque, entre outros
-> Participação do público em atividades suaves
-> Exposição fotográfica
-> Sorteio de camisetas
-> Teremos leitura de poesias com chá
-> Apresentações de kung-fu, entre outras.

Serviço
Evento: Dia do Tai Chi
Data: 30 abril
Horário: das 08h30 às 11h30
Local: Praça do Tai Chi (Jd. Luiz Ribeiro), Av. Água Verde esc. Rua Guilherme Pugsley.
Participação: livre e gratuita
Informações: Levis Litz – Tel/WhatsApp: (41) 8409-6858 – e-mail: LevisLitz@TaiChiCuritiba.com.br


Jornalista – Testemunha ocular da história

Dia 7 de abril – Dia do Jornalista

Este profissional para muitos é testemunha ocular da história, para outros é um narrador do seu tempo. Parabéns pelo seu dia!

Porque o jornalismo é uma paixão insaciável que só se pode digerir e humanizar mediante a confrontação descarnada com a realidade. Quem não sofreu essa servidão que se alimenta dos imprevistos da vida, não pode imaginá-la. Quem não viveu a palpitação sobrenatural da notícia, o orgasmo do furo, a demolição moral do fracasso, não pode sequer conceber o que são. Ninguém que não tenha nascido para isso e esteja disposto a viver só para isso poderia persistir numa profissão tão incompreensível e voraz, cuja obra termina depois de cada notícia, como se fora para sempre, mas que não concede um instante de paz enquanto não torna a começar com mais ardor do que nunca no minuto seguinte.”Gabriel García Márquez

————————————————————–
jornalismo

substantivo masculino
  1. 1. 
    jor atividade profissional que visa coletar, investigar, analisar e transmitir periodicamente ao grande público, ou a segmentos dele, informações da atualidade, utilizando veículos de comunicação (jornal, revista, rádio, televisão etc.) para difundi-las.
    ———————————————————-

    O jornalismo é, antes de tudo e sobretudo, a prática diária da inteligência e o exercício cotidiano do caráter.”, Cláudio Abramo

Jornalismo é como se fosse um fio, que liga as pessoas ao mundo.”, Calebe Lamonier

A ética deve acompanhar sempre o jornalismo, como o zumbido acompanha o besouro.”, Gabriel García Márquez

A diferença entre a literatura e o jornalismo é que o jornalismo é ilegível e a literatura não é lida.”, Oscar Wilde

 “Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade.”, George Orwell

“O jornalismo moderno tem uma coisa a seu favor. Ao nos oferecer a opinião dos deseducados, ele mantém-nos em dia com a ignorância da comunidade.”, Oscar Wilde

 


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.